Fazendo negócios em Portugal

Vamos conhecer alguns dados importantes a saber se quer criar um negócio em Portugal.

Quando alguém se aproxima de uma pessoa no negócio em Portugal, costuma-se usar o seu título seguido pelo seu nome completo. Independentemente do seu grau, graduados universitários são geralmente referidos como “Doutor” e os colegas muitas vezes se referem uns aos outros como “colega”. Cartões de visita são trocados apenas por membros seniores de uma empresa. Pode ser considerado rude escrever informação oficial em tinta vermelha. Em empresas o que é chamado de “socialização” se concentra principalmente no comer e beber em bares e restaurantes. Os meses de Julho e Agosto estão a ser evitado a nível empresarial (além do turismo), porque muitas pessoas estão de férias. Relativamente ao vestuário, este costuma ser formal e elegantemente. O Inglês é amplamente falado na comunidade empresarial, portanto, se quer criar um negocio é uma língua que deve falar.  Os horários de trabalho tradicionais são de segunda a sexta-feira das 09h às 13h e das 15h às 19h.

A economia portuguesa

Portugal era tradicionalmente uma economia agrária, mas desde a adesão à União Europeia em 1986, os sectores industriais e, especialmente, dos serviços têm crescido significativamente em comparação com a agricultura. Contudo, a agricultura ainda emprega cerca de 10% da população activa (figura elevada em comparação com os padrões da Europa Ocidental) e contribui com perto de 8% de PIB. O país produz principalmente trigo, milho, batatas, tomates, uvas, azeitonas, peixe e produtos à base de carne e de leite. O sector de manufactura é dominado pela matéria têxtil, calçados e máquinas.

Portugal aderiu à zona euro na sua inauguração, em 1999. Infelizmente, desde então, a economia Português  tem tido uma luta dura. Portugal foi particularmente afectada pela crise financeira impactando Europa desde 2008. O país foi então impôs medidas drásticas e reduziu drasticamente os seus gastos para cumprir com o resgate da UE e do FMI. A taxa de desemprego é de cerca de 12,3%, enquanto a inflação é de cerca de 3%. As principais exportações são de vestuário e calçado, máquinas, produtos químicos. Enquanto que as principais importações são de equipamentos, máquinas/transporte, produtos químicos, petróleo, couro e têxteis.

No negócio os nossos principais aliados são a Espanha, a Alemanha, a França, o Reino Unido e a Angola. Esta informação é bom saber, pois pode facilitar o processo de internacionalização já que são culturas com a que temos uma aproximação.

 

Deixar uma resposta